quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Incipit Vita Nova!



Clareou. Escureceu. Choveu uma temporada. Secou a outra. Esfriou num período. Esquentou no próximo. Veio a lua nova, a crescente, a cheia e a minguante.
Aí um dia alguém percebeu que tudo se repetia e resolveu marcar estas mudanças.
Chamou isto de Tempo.
Então outro alguém resolveu fatiar o tempo em bocados. Apareceu o calendário, o relógio, os minutos, os dias, meses, anos ...
Expectativas nos amanheceres. Esperanças nas estrelas. Adoração do sol e da lua. Espetáculos de fé.
E as cortinas de um novo show estão prestes a se abrir. Já separamos as roupas brancas, as fitas azuis e as novas lingeries amarelas. Compramos nossas romãs e escolhemos as uvas. As lentilhas estão de molho e as aves que "ciscam para trás" estão a salvo nesses dias. Flores foram colhidas para as oferendas e as bebidas estão a postos esperando a caminha de gelo. Confetes e serpentinas para quem não vai precisar limpar a sujeira. Fogos para espantar os maus espíritos.
Providenciamos tantos detalhes esperando a prosperidade que esquecemos de economizar.
Brigamos na fila do caixa do supermercado onde compramos os balões brancos.
Compramos o Engov para curar a ressaca dos brindes à nossa saúde.
Tudo vale para inaugurar a nova oportunidade do tempo e da vida.
Nesse réveillon esperaremos a mágica de um novo dia ou nos prepararemos para construir um novo tempo?
Por via das dúvidas, marco as duas opções!
Feliz 2011 e Feliz Vida Nova, Pessoal !!!!!!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A chama que não queima



Desejo a todos um Natal iluminado.
Mas que a luz límpida, purifique. E lave das nossas vidas a soberba, o egoísmo, a vaidade vã, o preconceito, a intolerância.
Que a claridade do saber transborde. E encha nossos dias de humildade, compreensão, contentamento sincero e esperança.
Que a energia fulgurante borbulhe. E sacie nossa sede de justiça, paz, sabedoria legítima e harmonia.
Que a tocha úmida irradie a prosperidade. E satisfaça nossa carência de atenção, humanidade, respeito consciente e perdão.
Que o cálice da vida nos refresque.
Brindemos em nome do absoluto Amor!

Imagem: http://www.graphic-exchange.com

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Tudo isso e mais aquilo




Fim de ano.
Época de pinheiros enfeitados, harpa paraguaia, neve isopor, e listas.
E quem sou eu para ser incluída fora dessa?
Portanto, lápis e papel (leia-se, teclado) na mão e vamos aos meus desejos:
- Saúde;
- paciência;
- filhos perto, alegres e carinhosos (tudo bem, é muito, mas tem gente que deseja ganhar na Mega Sena!);
- enxaguante bucal que elimine resíduos, placa, tártaro, manchas e mau-hálito num só bochecho;
- apetite sensato;
- ânimo para praticar atividade física;
- paciência;
- o Tempo desistir de treinar para a maratona;
- ganhar na Mega Sena (não falei?);
- Controle remoto que comande o aquecimento global em slow motion, poluição em fast rewind e justiça em fast forward, pelo menos até aprendermos a nos respeitar e ao nosso planeta;
- trocar o apartamento por uma casa com quintal;
- aprender a dirigir E tirar carteira;
- paciência;
- neurônios poliglotas;
- um notebook;
- paciência (tá bem, eu desisto da Mega Sena!);
- uma viagem para Itacaré;
- empatia genuína com meus semelhantes;
- muitos seguidores do blog e muitos comentários;
- e só para não esquecer: muita paciência!


Eu ilustrei o post com listras (que achei aqui:
http://www.brushpattern.com), só para fazer gracinha!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Natal? Qual Natal?




Alguns dizem que a data é enganosa.
Outros falam que O Homem é falso.
Todos afirmam que o símbolo não existe, exceto os menores de 5 anos, no colo.
As árvores são falsas e aqui, nos trópicos, a neve também é.
Os amigos ocultos sorriem falsamente e elogiam pro forma com muito/enorme/exagerado entusiasmo.
Os vendedores garantem que ficou "lieeendo" o vestido comprado com o falso dinheiro que alguém pagará por todo o Feliz Ano Novo.
Os pseudo champanhes espocarão à meia-noite, como se fora reveillon.
Em algumas templos serão celebradas cerimônias em que palavras, com quase 2000 anos de uso, serão pronunciadas mas os ouvidos não as registrarão porque os corações estão surdos.
Bilhões e bilhões de fotos encherão o ciberespaço, cheias de sorrisos congelados e mãos chifradas maneiras!
Presentes e mais presentes substituirão a ausência nossa de cada dia.
Muitos retribuirão com soda cáustica a lembrancinha recebida.
Ao fundo, o som do jingle bells.
Eu terei, talvez, entre uma rabanada e outra, tempo de chorar o pão que não ofereci, o sorriso que neguei, a ironia que distribuí, a mão que recusei.
Quanto esforço, Ó Pai, para fingir que a lição foi aprendida!
Me ajude poque eu não quero amargar no arrependimento.
Preciso aproveitar a chance da vida, a oportunidade que me foi dada no meu natal.
Preciso me nutrir com a essência.
Com um calor mais generoso. Uma fé mais firme nas minhas possibilidades de doar. Na emoção verdadeira a aplaudir as conquistas dos outros. Na segurança de não querer acumular coisas, nem manipular a verdade ou mesmo me iludir. Enfrentar os tempos tranquilos para poder resistir no temporal.
Quero o sentimento genuíno.
Eu quero que o Natal se faça em mim.






Crédito da foto 1: http://splenderosa.blogspot.com/
Crédito da foto 2: http://arkadiel.blogspot.com/

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Hoje não tem parabéns!



Hoje o Papai faria 79 anos.
Eu ligaria bem de manhãzinha para ele, que sempre gostou de levantar cedo, e daria os parabéns. E já combinaria com ele a comemoração: na casa dele? Aqui em casa? No Diamond?
Para ele, qualquer coisa era festa, mesmo!
Ele me perguntaria:
- Eu não estou muito "derrubado", não, estou?
- Claro que não, Papai! Você está forte demais e muito enxuto!
- Só se for por fora... Eu estou tomando cerveja pra chuchu, com esse calor!
É óbvio que ele não iria perder a oportunidade de uma piadinha. E é claro que estaria dizendo a verdade - o calor está senegalês e só uma "geladas" para ele aguentar!
Ele receberia muitos e muitos telefonemas de congratulações. Sua lista de amigos e admiradores era (e é) enorme.
Ele estaria muito animado, talvez até desconfiasse de uma festa surpresa. Não seria a primeira e o Papai ficaria muito emocionado, como sempre ficava: um homem de sentimentos profundos.
Ele estaria cogitando um banho. É quarta-feira mas é especial, merece o sacrifício!
De bermuda e chinelo, ele iria fazer sua fezinha sagrada. E sonhar com a mais espetacular pescaria: no Amazonas, aquele mato todo, aquelas frutas todas, aquele mundão de água (ele era inimigo só do chuveiro)!
Um almoço frugal: pimenta (muita) amassada no prato, arroz tingindo de vermelho ardido, feijão por cima,revolve tudo e põe a "mistura" que tiver. Carne, só depois, pura, para aproveitar bem o gostinho. Muito suco para acompanhar.

- Credo, Pai, parece que está misturando concreto!
- Credo, nada! Vai misturar tudo lá dentro, mesmo!

Então, ele pegaria o ônibus para o trabalho de fim de ano. E iria reclamar até dos "folgados" que não dão lugar pros mais velhos...
Chegando ao shopping, ficaria olhando de esguelha as noeletes trocando de roupa.
- Eu já sou inofensivo!
E abraçaria as crianças, contaria piadas, e ...
Não.
Isso não acontecerá mais!
Ele não acordará cedo e nós não teremos mais essa alegria que ele nos proporcionava: comemorar sua presença querida.
E eu não vou poder telefonar para ele, não vou ao Diamond Mall tomar um chopp e atentar o Papai. A tia Vera e a tia Maria Virginia não vão levar o bolo para festejar.
E muita gente vai ficar sem o mais charmoso Papai Noel!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Parabéns!!!!


Hoje é dia!
Dia de agradecer com muito mais entusiasmo e pedir com bastante mais fervor.
Aniversário é festa, comemoração, lembrança e promessa.
Mais de trezentos dias e noites sucessivamente correram desde as últimas velinhas e quantos desses dias trouxeram alegrias! Muitos carregaram tristezas, também, mas havia junto muita força para suportar sem desfalecer. TODOS os dias escondiam pelo menos um aprendizado, bobo de quem não achou!
O sol erguia-se a cada manhã (menos nas chuvosas). A noite encerrava a cerimônia cotidiana com cansaço e realização.
Trabalho, compromisso, responsabilidade, suor e algumas lágrimas. Sorrisos, suspiros, lazer e diversão. A tentativa de equilibrar as coisas - fazendo um esforcinho extra para lado light da lista.
Tentar dar exemplo. Fracassar um bocado. Acertar nas contas. Corrigir o curso. Pancada na fuça: aguenta! (com trema é bem melhor!)
Vento, cervejinha, cafuné.
Chocolate, que ninguém é de ferro.
Filhos. Família. Amigos. Companheiros. Coroação de tudo o mais.
Rugas, cabelos brancos, quilos em quantidade, junto com a experiência.
Saudades, raivas, carinho e antipatias... normal para quem é "humano, demasiado humano".
Mas, principalmente, tentando sempre não prejudicar ninguém. Tentando ser um pouco menos nocivo para o nosso planeta. Tentando participar mais da construção do nosso país.
O que mais se pode querer?
Claro: paz, saúde, amor e força e luz!
Então,parabéns... para mim e para o Léo!



Foto 1, Tirei daqui: http://andreaarteira.blogspot.com/
Foto 2, googlei, apareceu umtanto, escolhi uma, postei e ... é isso ai!