quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Pretéritas Delícias



Faz muito, muito e demasiado tempo que uma doçura não se dissolve - nuvem de coco - no céu da minha boca deliciada.
Obra das artes do Papai, quem diria, virado em doceiro finíssimo.
A Mamãe dava o ponto. Mas quem mais teria braços para "puxar" as balas, trabalho pesadíssimo?
Explico: As balas delícia da minha infância quem fazia era o Papai. Nós ficávamos lá, enchendo a paciência, querendo ajudar (mas atrapalhando), sentindo o cheiro fabuloso e salivando como estou agora.
A receita é simplíssima: leite de coco e açúcar.
Modo de fazer, moleza:
1)  é preciso uma panela bem grossa. Lá em casa usava-se a panela de pressão;
B) é proibido mexer. (Senão açucara, e o trabalho, ingredientes e expectativas, bau bau!);
3.º) é necessário despejar no mármore untado com manteiga.
IV) mas o pulo do gato, o X da questão, onde a porca torce o rabo, o vamos ao que interessa, é o ponto. A hora certinha de tirar o doce da panela.
Five) Força no muque, porque agora é pegar aquela "massa" quente, amarela e dura e, esticar, dobrar, juntar; esticar, dobrar, juntar;  esticar e dobrar e juntar ( o Papai dizia, puxar) até que ... mágica: vai ficando elástica e branquinha. Então é dar uma torcidinha básica - questão de estética, saca?
Depois disso, é  cortar com tesoura (dava até calo nos dedos!), esperar secar (ou não), embrulhar nos papéis de seda com as extremidades desfiadas e se esbaldar!
O nome corresponde ao fato: Delícia!
E me provoca uma saudade tão grande!
Servidos?


2 comentários:

  1. Ja comprei em diversos lugares, nenhuma tem o sabor das do papai.

    ResponderExcluir
  2. hummmmmm me deu água na boca, lembro com saudade dos dois!!!
    beijos

    ResponderExcluir