sexta-feira, 22 de abril de 2011

Fulô e Cia



Qualquer um que tenha ou já teve um cachorro é privilegiado.
Isso significa ter sido amado e idolatrado, salve, salve!
Incondicionalmente amado: com mau hálito, despenteado, bravo, chorando, pagando mico ou posando de herói.
Dono de cachorro (na verdade, eles é que são nossos donos) é O Cara!
Quem nunca descreveu seu cachorro: Só falta falar!
Pois a Fulô, essa coisinha aí da foto, não falta. Ela fala mesmo! Bate longos papos com a gente. Meio uivo, meio latido, ainda vou aprender essa língua. Ela já aprendeu a nossa: toma e passear são as suas palavras favoritas.
Quando a Isabela começou a ensinar alguns truques (senta, deita, rola) ela só faltou cantar o hino nacional: faz qualquer coisa por um petisco - inclusive sentar, deitar e rolar, tudo junto e ao mesmo tempo. Aprendeu também o idioma dos objetos pois entende direitinho o que significa o barulho de afiar a faca, de pegar a tábua de carne (será por que?) e de pegar a coleira.
O mais impressionante é a total ausência de censura. Ela não tá nem aí... arrota, lambe, enfia a cara por todo lugar. Atropela o gato, voa no pescoço do Fritz (seu marido), pula no colo da gente, deita na cama, arranha a perna de quem está sentado comendo... Educação, zero. Em compensação, é companhia para todas as horas,minutos e segundas (intenções).
Preguiça nula. Se eu levantar 347 vezes de onde estiver sentada ela levanta junto e me acompanha. Nem adianta falar que eu não demoro... ela não se importa.
Adora dar susto na gente! E enganar o Fritz. Finge que escuta alguma coisa muito importante, late, sai correndo e o bobo vai atrás. É pura mentira... eu chego a ver seu riso de deboche.
Uma veterinária chegou a comentar que nunca tinha conhecido cachorra mais feliz.
Ela não percebeu que felizes somos nós, que convivemos com tamanha ternura!



O Fritz, é de outra natureza. Nós o encontramos na rua. Uma sujeira tremenda... Ele nos escolheu. Entrou na nossa vida meio por acaso. Parece que está sempre pedindo licença e desculpa. Um anjo com quatro patas, peludo e humilde. Detesta o Ferdinando, mas não reage nem quando o danado do gato bate nele. Sabe que eu não aprovaria uma agressão. É doce e bonzinho.




O Ferdinando compete com a Fulô em atrevimento. Só que nele tudo é pensado. Um verdadeiro calculista. Ensaia os movimentos e escolhe só os mais elegantes! Pensa se vai aceitar ou não um pedaço de carne... na maioria das vezes, despreza olimpicamente.
- Vê seu eu vou me rebaixar a tanto! Eu como na hora que EU quero...
Mas entrega seu lado carente: vai chegando devagar e deita perto de mim na cama. E dorme... como dorme!
Educado por demais, bebe água com calma, come com calma, mia languidamente.
E a vida aqui em casa vai seguindo. Em ótima companhia.

2 comentários:

  1. Flavia, seu blog é uma delicia, mas esta postagem não posso deixar de comentar. Tenho, sempre tive cachorros, de todos os tamanhos e raças. Hoje são: Giba (labrador) preto, lindo, cheio de energia, feliz. Bruce (boxer) achei na rua, estava perdido, sem lenço e sem documento, não achamos os donos então...ficou! Educado em Londres, um Lorde. Brie (Vira-lata autentico) achei na rua, nem tinha aberto os olhos ainda, como alguém pode fazer isso? Não entendo!!! E a Khrisna, ultima a chegar, também encontrei na cerca do sitio, alguém largou lá! Devia ter uns 20 dias, lindaaaaaaaaa!!! Esta dorme na minha cama, me acorda, lambe a orelha, minha orelha, rsrsrssr!!! Além disso temos alguns gatos que foram chegando e ficando, sabe como é cama quente, comida boa, liberdade! Eles são terriveis, sabem o que querem e o que não querem. Uma maritaca que chegou com a asa cortada, nem sei como conseguiu chegar, mas mesmo com a gaiola aberta daqui não sai, e um micro passarinho branco e achei embaixo de uma arvore todo encolhido, hoje canta e dança o dia todo. Sou mesmo abençoada! beijos querida

    ResponderExcluir
  2. Que bom encontrar outra "bichoqueira"!.
    Acredito que gostar de bicho seja a minha maior qualidade.
    Que delícia poder ter os seus com esse espaço todo (eu vi as fotos do sítio e faltei babar)!
    Abençoada 'de com força', heim?
    Obrigada pelo comentário! Beijoca!

    ResponderExcluir