segunda-feira, 18 de julho de 2011

Escavações


Aqui vamos nós. Camada após camada de nós. Com o que nascemos, o que nos foi dado, o que sofremos, o que ganhamos, com quem vivemos, o que conquistamos, ou mesmo perdemos mas deixou marcas em nós.
Estamos aqui, em vias de não estarmos mais porque mudamos a cada mísero instante.
Mas nossa bagagem vem junto.
No momento de alegria, cavamos um pouquinho e achamos aquele sorriso tão nosso conhecido.
Este nos contagia.
No momento de angústia, cavamos mais um pouco e recolhemos aquela força de que precisamos e que está ali: infalivelmente.
E ela nos ampara e nos suporta.
Experiências? Aos montes! Em cada cavacada, uma. Igual minhoca.
Lembranças? Essas, não precisa nem cavar. Vêm pulando ao nosso alcance. As boas e as nem tanto. Até as horrorosas, mas que também ficam ali marcando nosso relevo vital (cacófato ordinário!).
Mas e daí? Quem quer viver na planície árida e tediosa?
Aqui vamos todos. Cultivando nossa paisagem.
Nossos vales soturnos, declives perigosamente escorregadios, íngremes desfiladeiros, morros dos ventos inebriantes (pensaram que eram uivantes? Enganei todo mundo).
A família é uma rocha, ou uma gema preciosa. Às vezes, uma pedrada mesmo. E dolorosa!
Cada amizade um regato, ou um turbilhão -  ou um lençol submerso em profunda identidade. Nos refresca ou faz lama, que importa? Esculpe nossa jornada.
Aquilo que não deixou marca, foi o cisco insignificante.
Porque até o vento; principalmente o vento, cantante, agressivo, frio ou reverberante, enfeitou nossa existência.
E ainda vamos... Escavando o nosso destino.
Imenso destino porque é nosso e nada é por acaso!
Atentos, soberbos desbravadores.
Colecionando horizontes, preservando os vestígios. 
Quem lerá nossas entranhas?
Que contará nosso fóssil?
O que for, é real e deslumbrante.


 

2 comentários:

  1. Inspiradissima, hoje mais que os outros dias? Acho que nao. So um pouco de nostalgia da minha parte. Bjo mana

    ResponderExcluir
  2. Menininha, cada dia sou mais seu FÃ.

    ResponderExcluir