sexta-feira, 8 de julho de 2011

Muito

O tanto que eu gosto é muito.
Eu aprecio quando entorna pelas beiradas ou quando ultrapassa o limite (assim como o chantilly sobrando da taça).
Tenho uma queda pelo excesso e pelo exagerado.
Meu limite é um pouco além do recomendado. Acho que quase tudo é ótimo, desde que não seja pouco... Economizar me parece um desperdício, em tese. Guardar para quê, se o amanhã pode nem haver? Há quem exercite essa incongruência, vá lá: o mundo é bem grande e nele cabem todos os tipos. É até bom que alguém o faça, porque se depender de mim...
As cores da minha cartela gritam. Meus amores são extremados e, ainda bem, nunca odiei!
A minha festa ideal começa um pouco mais cedo e dura até depois da ressaca que, claro, é um pouco mais pior. (Não adianta o corretor do Word vir dar pitaco no meu texto... é “mais pior” mesmo. Além disso, ainda que não seja poesia, vou assumir a tal da licença poética, tá?) .
Minha comida peca por um tanto a mais de alho, cebola e pimenta ou manjericão. E em questão de quantidade, geralmente é o dobro. O meu doce tem chocolate e leite condensado e creme de leite e fruta, certo?
Crise de riso, para mim, é normal, muitas vezes até engasgo.
Meus choros se chamam pranto e costumam acabar com edema dos olhos, rouquidão (por causa dos soluços) e duas Neosaldinas ® para combinar com o quarto escuro.
Costumo me envolver demais em tudo, sou boba demais e minhas raivas são terríveis!
Falo pelos cotovelos, joelhos e omoplatas.
Se tenho que fazer, que seja logo. Se tenho que esperar, já vou deitando. 
Leio cinco livros ao mesmo tempo, ouço uma música dez vezes seguidas, fácil, fácil...
Tenho a sorte de não ser religiosa: risco iminente de fanatismo...
Extremamente ansiosa, absolutamente dramática, beiro a histeria. Ou ultrapasso?
Consigo trafegar do otimismo mais exuberante ao pessimismo mais paralisante e meu psiquiatra jura que eu não sou bipolar!

Eu me pergunto 763 vezes por dia: será que eu tenho conserto?

Um comentário:

  1. Tomara que não tenha conserto, assim tá otimo! EXAGERADA!!! Minha tia Ismenia dizia que eu sou 8 ou 80, deve ser de familia este exagero todo. Adoro seu blog. beijo

    ResponderExcluir