sexta-feira, 16 de abril de 2010

Confessione




Eu e o Papai éramos meio comparsas. Às vezes, não era preciso nem falar nada. Um olhar bastava para nos entendermos, principalmente em se tratando de ironia.
Agora a confissão: Eu tinha (tenho, ainda, mas parece que a maturidade andou espaçando mais as crises) ataques de riso. Eu sei. É ridículo. É lamentável. É constrangedor. Mas é verdade. Começa com risos curtinhos. Tentativa de segurar. Pequenas explosões de barulhos que escapam da boca. Lágrimas, muitas lágrimas. O rosto se colore de um tom roxo-avermelhado (ou vermelho-arroxeado - é difícil definir). Engasgos, tosses, um espetáculo deplorável. Dizem que é um traço de histeria. Tenho que perguntar ao meu psiquiatra!
Para quê tudo isso?
Para contar da vez que, por minha culpa e do Papai, quase que o Léo, meu marido, perde um grande amigo.
Quando a Isabela e o Frederico nasceram, um dos melhores amigos do Léo, o Marquinhos, foi nos visitar e levou consigo a nova namorada e a irmã da nova namorada. Elogios mil ao pimpolhos, desejos de felicidade, saúde, etc. etc., fomos para a mesa - finalmente, para a alegria do Papai. Muitos casos, conversas e blablablá, o Papai reclamou que a namorada e a irmã da namorada deveriam ter nome, mas ele não sabia:

- Meu nome é Marilaide e o da minha irmã é Marleide.

O Papai, tenho certeza que foi sem querer, disse de um jeito que eu queria ter gravado:

_ Putz, parece nome de pronta entrega!

E, aí, ele olhou para mim! Foi o maior erro.
Eu tentei segurar. Dou a minha palavra! Mas foi acima das minhas forças. E eu contaminei o Papai. Eu nunca tinha visto ELE ter ataque de riso! Eu saí da mesa, fui ao banheiro, lavei o rosto, respirei fundo muitas e muitas vezes, mas quando voltei para a mesa, começou tudo de novo. Eu não podia olhar pro Papai e nem ele para mim. Era incontrolável. Nem sei como acabou o ataque. Acho que a vergonha bloqueou meu cérebro.
Foi uma das maiores grosserias que nós já fizemos.

E.T.: O Marquinhos, que havia sido convidado para ser padrinho da Isabela, sumiu. A Isabela é afilhada do Fabinho.

Foto: Acervo pessoal.

Um comentário:

  1. Tinha me esquecido dessa historia mas, foi so ler e cair na risada. Isso é de familia, né!!!!

    ResponderExcluir