quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Colóratra



Tá bom, estou apelando e inventando palavras, agora.
Mas, quem nunca inventou uma palavra que atire o primeiro dicionário.
E já que eu toquei no assunto, apelar é comigo mesma. Herança do Papai, o maior apelador ever. Acho que é coisa de exagerados - Baixa um Cazuza, por favor!
Estou sempre a um passo do exagero e do over. Isso quando não atolo os dois pés, de uma vez, na jaca. Se tem coisa que me anima, me afeta, encanta e embriaga, é a tal da cor. Desde pequenininha, lá em Barbacena, eu fanatizava pelo colorido. Ô coisa linda, sô!
Eu me enrolava em milhares (alguns) lenços coloridos e ficava dançando embevecida. Era louquinha com as flores da buganvília da casa da Vovó, que eu chamava de bonina. E sempre, sempre, sempre fui fã de lápis de cor, canetinhas e quetais. Não precisava nem usar: só de ver aquele monte de cores e possibilidades de coloridos já estava bom. Pena que nunca tive o dom ou o talento do desenho e da pintura. Apesar de ter tentado. No Colégio São Miguel Arcanjo só havia dois cursos técnicos: Química e Desenho. Não durou nem um mês a minha vida de aprendiz de artista:  fui “incentivada” a optar pelo de Química!
Fiquei sabendo que as cores têm poder. Que novidade! Elas que já tinham me agarrado "de com força" há tanto tempo! A ponto de querer fazer uma campanha: Vamos colorir as ruas! Acho um verdadeiro horror - de tédio, de falta de graça, de xoxisse (existe isso?)  que nas ruas desse país quase só se vê carros cinza/prata, preto e branco! Nem os táxis amarelos sobreviveram! De uns tempos pra cá surgiram, timidamente, uns carros coloridos pra dar um up nessa selva cinzenta. Um viva para os que ousam sair do lugar-comum!
Pois eu quero é cor. Cor viva, impactante, tropicalíssima, aparecida, cheguei. Dar uma sacudida nos cérebros. Dar uma energizada na vida. Acordar os sentidos.
Há pouco tempo comprei uns tênis cor-de-rosa. Os filhotes reclamaram: Virou fã do Restart? Argh! E eu nem sabia o que era isso! Continuo usando os tênis cor-de-rosa choque que tem nada a ver com gosto musical e sim de gosto de vida!




4 comentários:

  1. Plac, plac, plac, adorei, como sempre!!!

    ResponderExcluir
  2. Ana Lúcia Santos de Faria30 de janeiro de 2013 22:57

    Flávinha, continuo com a certeza absoluta de que vc sempre foi e será uma escritora, e das melhores! Prbéns pelo txt, me fez sorrir bastante, gostei demaisss! Que venham mais, rs, bjossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, tia Ana!
      Pelo elogio, pela força, pelo comentário... é uma delícia receber comentários!

      Excluir