terça-feira, 24 de agosto de 2010

O importante é a rima que dá!


Que canseira!
E olha que só tem um mês e meio que eu só estou trabalhando e estudando e cuidando de casa e cozinhando e lavando e dando atenção para marido e filhos e ...Hã!?!
Mas o importante é ter saúde: Tirando a sinusite e depois a gripe, estou Uótema!
Mas vamos ao que interessa.
Um dia desses estávamos conversando, lá no meu trabalho, sobre ditados populares e a chefe da minha seção se lembrou de um, que sua avó falava quando a netaiada estava reunida e tinha só um pouquinho de doce, ou de biscoito, ou qualquer outra coisa para repartir: Ela dava o restinho, sem "amarrar mixaria":

Coisa pouca não se regra
Acaba com isso que sossega.



Eu achei genial. E me lembrei de algumas expressões que eu ouvia e ficava tentando descobrir o que poderiam significar: Com a avó atrás do toco, por exemplo. Eu ficava imaginando a Vovó agachadinha atrás de um toco de árvore.
Faz pouco tempo, também, que eu li um livro, do Mário Prata, em que ele conta de uma amiga que morria de pena da coitada da Tumitinhas.Ela nunca tinha percebido que Tumitinhas, não era uma personagem na Cirandinha:

(...) O amor que tu me tinhas
era pouco e se acabou!

O caso é que tudo que acontece comigo, durante o dia, no trabalho ou na escola, nos ônibus ou na rua, eu conto lá em casa. Cada casinho acontecido. Cada manota que eu dou. ( A Isabela quer morrer!) Nesse dia, conversando sobre isso, recitei umas trovinhas que o Papai adaptava. Ele era craque em "customizar" poesias, quadrinhas e até músicas. Algumas que eu lembro:

Joguei uma pedra no rio
De pesada foi ao fundo
Os peixinhos reclamaram:
Não joga pedra aqui não, pô!


Quantas flores pelo campo!
Quanto sangue derramado!
Será que mataram algum boi?


E tinha um sambinha muito bacana:

Ocês era o porta estandarte do bróquio
E dançava com imprefeição
Mas agora que bróquio acabô
Nosso samba num amiorô
Adevorve
Advorve o porta estandarte do Craudionô

Adevorve oh, nêga
Adevorve oh, péstia
Adevorve o porta estandarte que eu te deste!


E mais um, para encerrar:

Nóis era sete
Fumo morreno
Fumo morreno e só restaram
Eu!


Fui!


Crédito da foto: Cortesia de Beto Magalhães

Nenhum comentário:

Postar um comentário