segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Pietra


O nome dela é Pietra
Vive no bairro Castelo
Essa história, eu espero,
Despertará atenção

Foi numa noite de outubro
Não lembro se tinha lua
Só sei que veio da rua
E uivava de solidão

Sua dor era tão forte
De medo e desesperança
Que acordou a vizinhança
Provocou irritação

O tempo escorreu lentamente
Naquela mesma madrugada
Deram tiro na coitada
Por sorte não acertou, não.

Bem cedo pela manhã
Fui ver como ela estava
Encolhida e apavorada
Senti muita compaixão

Dei-lhe água e alimento
Fiz festa na cachorrinha
Ela sorriu bem mansinha
Entregou-me o coração

Foi assim que a Pietra
Começou a aventura
Sentindo que estava segura
Partiu logo para a ação

Cada dia mais esperta
Tomando conta do lote
Sabia que era mascote
Espantava até ladrão

Ficando sempre mais linda
O negro pêlo acetinado
Arranjou um namorado
Começou a gestação

Nasceram oito filhotes
A metade era de fêmeas
E os outros, irmãos das gêmeas,
Cada qual uma perfeição

Não sei como conseguia
Amamentar essa turma
Com um barulho desses durma
Quem não tem compreensão

Afirmo que me comovia
A mãezinha abnegada
Cuidando da filharada
Com tanta dedicação

Mesmo assim ainda tinha
Quem da Pietra reclamasse
Não era cachorra “de classe”
Pura discriminação.

Eram fofos os filhotes
Foi pura felicidade
E até com facilidade
Que consegui adoção

Fiquei sentida, é verdade,
Porém o certo foi isso
Eu tinha esse compromisso
Era a única opção

É claro que ela sofria
Mas com tudo se acostuma
Ela era só mais uma
Com a dor da separação

Ela acabou superando
Com o tempo, se acostumou.
De carinhos me cercou
De alegria e atenção

E eu também reconheço
Que me apeguei tanto a ela
Sei que essa linda cadela
Já virou minha paixão

Adoraria morar
Numa casa com quintal,
Com jardim e coisa e tal
E poder ter mais um cão.

A realidade, porém,
É que moro, no momento,
Num pequeno apartamento
Cheio de confusão

O gatinho Ferdinando,
Os cães: Fritz e Fulô.
E haja tanto cocô
E xixi também, de montão.

Vim contar essa história
Espero ser bem sucedida
E encontrar pra minha amiga
Um lar, um abrigo e atenção.

Ela merece isso tudo
E mais: a felicidade
Ela provou que de amizade
Está cheio o seu coração

Peço a quem possa ajudar
A terminar essa biografia
Proporcionando a alegria
De uma comemoração

Que Deus proteja e abençoe
Aquele que abre os braços
E ata os profundos laços
Do verdadeiro amor de um cão.

Foto: Isabela Tunes

Um comentário:

  1. A poesia está muito comovente...tomara que a cã (???) encontre um novo refúgio...Bjs!!!

    ResponderExcluir