sábado, 13 de fevereiro de 2010

Infância




Papai nasceu em 1931. Essa foto aí é desse ano - Dá para ver até o viaduto de Santa Teresa. Era o nono filho e a fila ainda ia andar! Teve tempo e oportunidade para se esparramar pela cidade, então Jardim, mas que tinha muito era brejo! Ele contava que pegou muita 'maria sapuda' onde hoje são avenidas, como por exemplo, a Prudente de Morais.
Foi uma infância de liberdade e aventuras. Mas foi também época de vacas magérrimas.
Catava metal, ossos e outras coisas para vender e ganhar um troquinho. Dizia que houve um tempo em que passava tanta necessidade que enfaixava um dos pés para ir à escola, para economizar sapato. Na outra semana, enfaixava o outro pé. Ô menino que se machucava!
Eu não tenho muita certeza mas acho que foi a sua prima, Arilda, que trabalhava no Bazar Americano, quem arrematava brinquedos com pequenos defeitos (nossa ponta de estoque) para deixar nos sapatos, no Natal. A Tia Vera falava que quando acordava de manhã e pegava uma cadeirinha de boneca toda torta, achava o Papai Noel um relaxado!
Um dia, andando pelas ruas da Floresta, o Papai viu seu primo, Clóvis, que ia comprar pão, deixar cair uma nota. Ele catou o dinheiro, caladinho, foi até a venda e comprou tudo de doce. Comeu sozinho! Ficou com a consciência pesada, falava - "até hoje!".


Foto: (http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=831846)

Nenhum comentário:

Postar um comentário